>> notícias | interna | Edifício Paulista 2028: renovação que traz valorização

Crédito: divulgação

Em uma tradução livre, o termo Retrofit pode ser entendido como “colocar o antigo em boa forma”. Quando diz respeito ao mercado imobiliário, significa renovar um edifício já existente (modificando ou não o seu uso), modernizando-o e implantando tecnologias mais atuais. Trata-se de uma tendência urbana mundial, estratégica e promissora, que além de promover o bem-estar dos usuários e a produtividade, otimiza o uso de recursos, reduzindo custos de operação, manutenção e consumo energético, com consequente valorização imobiliária.


Colocar o antigo em boa forma

Especialistas afirmam que é um mercado em expansão devido à crescente escassez de terrenos nas metrópoles, sem falar na grande quantidade de edificações com mais de trinta anos (públicas e privadas) que podem se beneficiar da prática. Veja o Centro de São Paulo: aproximadamente 90% dos prédios não são dotados de inteligência – situação similar à região da Avenida Paulista, que tem ganhado a atenção dos investidores nos últimos anos. Emblemática e ampla em oferta de transporte, comércio e serviços, ela figura entre os principais polos corporativos. Porém, a maioria de suas edificações data da década de 70 e 80, como é o caso do Paulista 2028.

Vislumbrando o potencial do empreendimento, a BNCORP e a Bueno Netto somaram suas expertises para adquirir e resgatar o imóvel localizado no quarteirão entre as ruas Augusta e Frei Caneca. Com 14 andares-tipo (lajes de 356m2), térreo com loja, mezanino, cobertura duplex e dois subsolos de garagem, o edifício passou por uma ampla revitalização que durou 18 meses. “Nossa proposta ao convidar o escritório de arquitetura Athié Wohnrath para assumir o trabalho era aproveitar a sua experiência e sensibilidade de entender o usuário final, modificando radicalmente a imagem corporativa do edifício, assim como sua eficiência operacional. Como a sustentabilidade também faz parte do nosso DNA, o retrofit fazia todo sentido”, explica Nelson Mazzeo, Gerente de Incorporação da BNCORP, que já assinou outras empreitadas nesta linha, a exemplo do Rio Branco 115, Laranjeiras Corporate 44 e Standard Building – todos na capital fluminense.

No caso do Paulista 2028, as soluções utilizadas para a nova fachada buscaram construir uma identidade diferenciada da cena arquitetônica atual da Avenida Paulista. A retirada total dos
brises/caixilharias deu lugar a materiais nobres como vidro e chapas coloridas de ACM, formando desenhos geométricos que remetem a uma imagem contemporânea e atraente. Além disso, foi criado um ático na cobertura, de onde é possível contemplar a exuberante paisagem da cidade.

Em interiores, os holofotes voltam-se para o novo lobby (foto) e para a modernização dos três elevadores. Nos andares-tipo, além do hall renovado, a relocação dos sanitários permitiu o melhor reaproveitamento da área nobre que tem vista para a Paulista, enquanto o terraço técnico criado na fachada posterior também pode ser opção para uma área de convivência. A respeito da área de estacionamento, um estudo mesclado ao uso do serviço de manobristas permitiu ampliar a oferta em 102 vagas. Já o certificado LEED Core

Comentários 0

Deixe um Comentário