Por que muitos prédios com Certificação LEED permanecem com a iluminação acesa durante a noite?

Data

24 de setembro de 2018

Camila Nagay,  arquiteta consultora LEED da Athié Wohnrath, explica os motivos pelos quais encontramos alguns prédios em importantes centros de negócios do País com luzes acesas durante a noite. E o mais curioso é que são empreendimentos com certificação LEED. Ficou confuso? Veja no artigo abaixo a explicação.

Esta é a pergunta que vem à mente quando passamos durante a noite nas proximidades dos maiores centros de negócios de São Paulo, as regiões da Berrini e Faria Lima, e nos deparamos com luzes acesas de vários andares de edifícios com Certificação LEED-CS (Core & Shell)* e, muitas vezes, com a edificação inteira iluminada.

Um estudo realizado pelo GBC Brasil em 2016 constatou que mais de 50% do estoque de áreas locáveis nestas regiões estão em edifícios com Certificação LEED-CS. Se considerarmos somente os edifícios construídos a partir de 2014, esta porcentagem é bem maior, o que significa que a cada 2 edifícios localizados nestas regiões, 1 deles possui Certificação LEED.

Voltando ao tema das luzes acesas, ficamos indignados com o desperdício de energia para iluminação em edifícios que são certificados e que asseguram seguir os mais rigorosos critérios de sustentabilidade.

Em parte, isso ocorre em função da falta de conhecimento que a comunidade em geral tem sobre as exigências da Certificação LEED no que se refere aos controles de iluminação. Considerando sistemas de Certificação como Core & ShellCommercial Interiors e New Construction, utiliza-se como referência a norma norte-americana ASHRAE (The American Society of Heating, Refrigerating and Air-Conditioning Engineers) para garantir os requerimentos mínimos necessários para que um empreendimento seja energeticamente eficiente.

A norma de referência (ASHRAE 90.1) determina que o sistema de iluminação deverá estar interligado a um sistema de desligamento automático, seja este um programador horário ou sensores de ocupação. Entretanto, no caso do sistema de programação horária, não há uma exigência para o tempo em que o sistema de iluminação permanecerá ligado. Isso significa que, se a iluminação permanecer acesa entre 6hs da manhã até 4hs da manhã do dia seguinte, ainda assim a Certificação LEED permanece em conformidade.

Além disso, não é raro identificarmos problemas diversos dentro das equipes de operação e manutenção predial, que culminam na utilização inadequada dos equipamentos e infraestruturas de controles como os programadores horários, por exemplo. Estes problemas estão relacionados muitas vezes a treinamentos inadequados às equipes que operam os sistemas; dificuldade na disponibilização de materiais como Plano de Operação e Manutenção ou Plano de Medição e Verificação para orientar as operações e para também identificar falhas de funcionamento ou parametrização dos sistemas. Quanto mais complexo for o sistema de controle, maior é a chance de sua utilização ser inadequada.

A indignação por parte da comunidade, mais consciente em geral, e dos usuários dos edifícios verdes têm direcionado o mercado da construção para a utilização cada vez mais frequente de sensores de ocupação, também conhecidos como sensores de presença ou de vacância, como opção para o desligamento automático do sistema de iluminação.

Na Athié Wohnrath sempre recomendamos aos clientes de projetos de interiores que optem pelos sensores de ocupação como alternativa de desligamento automático para atendimento ao requerimento mandatório da Certificação LEED. Além de ser uma forma de atender aos requisitos, os clientes logo identificam as vantagens da utilização desta estratégia para reduzir a conta de energia e também simplificar a manutenção e operação de seus espaços.

Neste contexto, destacam-se os sensores de ocupação instalados na modalidade “stand alone”, ou seja, quando a comunicação entre os sensores e as luminárias não passam por um sistema de gestão centralizado. Esta solução ainda possui um custo de implantação menor quando comparado ao sistema centralizado de controles de ocupação, permitem flexibilidade para alterações de layout e apresentam procedimentos de manutenção bem mais simplificados.

* Os sistemas de Certificação LEED, denominados rating systems, são divididos por tipologia de uso das edificações: LEED-NC (New Construction), LEED-CS (Core & Shell), LEED-CI (Commercial Interiors), LEED-EB O&M (Existing Building, Operation & Maintenance), LEED Homes, etc.